domingo, junho 01, 2014

BanAnna...outro adeus

Junho está começando e eu pensei que seria uma boa data para eu escrever aqui de novo. Sem falar que em dez dias esse blog faz 10 anos de existência.

Ufa! Não foram fáceis esses dez anos e alguns dos momentos mais difíceis e felizes acredito estão postados aqui talvez de forma explicita, talvez por entre linhas, mas definitivamente eles estão aqui. Esse blog tem me ajudado por quase 10 anos e eu me pergunto se ele continuará  dando essa força de alguma forma? Isso só o tempo vai responder e eu vou esperar por ele porque hoje eu não tenho muita idéia do que fazer daqui a dez minutos.

Enfim mudando de assunto e ainda mastigando o mesmo chiclete. A banAnna tá me deixando e eu estou feliz, triste e ansiosa e tudo junto, por ela. Ela uma amiga linda que a vida me deu de presente, uma irmã com quem eu só sei falar em outra língua, mas que me entende como se falássemos o mesmo idioma desde crianças, aliás me entende na maioria das vezes como se pudesse ler o meu pensamento. E eu sou grata que em uma dessas esquinas da minha vida era para a gente se encontrar e era para eu te reconhecer e continuar a conhecer.

Falando em conhecer, ô tarefa difícil essa de conhecer a Bambina, ela é doce como mel e azeda como limão. Calma como a água de um lago e mais revolta que a corrente de um rio. Às vezes chego a pensar que ela é bipolar. Mas ela tem um coração tão lindo e me conquistou de uma forma tão serena que eu não posso nunca imaginar o que seria de mim todos esses anos se não fora por ela. Então em homenagem a esses 10 anos eu venho aqui falar dela que faz parte de pelo menos uns 5 deles...e vai continuar tenho certeza.

Eu vou sentir sua falta demais mas você vai sempre estar aqui dentro de mim. E eu te desejo o melhor para o seu futuro e todo amor que houver nessa vida, porque você minha cara: Merece!

Io te voglio tanto bene...

Vou colocar umas fotos...mas os momentos mais incríveis foram aqueles que a gente não teve tempo de tirar foto porque estávamos vivendo o momento.


                                                        

  




...Renata...

domingo, maio 11, 2014

Feliz dia das Mães

Nossa quanta coisa anda acontecendo e os dias indo tão depressa que eu fico assustada que o ano começou ontem e já estamos quase na metade. Uma das minhas metas para este ano era postar mais neste blog. Eu vejo que antes quando eu tinha menos coisas para comentar eu vinha aqui mais vezes e hoje com tantas coisas boas e ruins acontecendo eu quase não venho aqui. Isso me lembrou do filme "The perks of being a wallflower"/"As vantagens de ser invisível", mais especificamente da última carta de Charlie (Spoiler se você não viu o filme não leia), mas se ficou curioso sobre o que eu estou falando clica: A Última Carta de Charlie Infelizmente eu ainda não estou como o Charlie: Participando!Eu estou começando as minhas "cartas" e quem sabe daqui uns dias eu escreva a última delas como aconteceu no filme. 


Bom comecei a escrever esse post com a intenção de Parabenizar a minha mãe pelo seu dia, que, aliás, são todos eles todos os dias desde aquela Quarta-feira, 7 de Março de 1979 até o presente dia Domingo, 11 de Maio de 2014, os 12.850 dias, os 35 anos, dois meses e cinco dias da minha existência são dela porque sem ela eu não escreveria este post. Ela que em todos estes dias pensou em mim e não se esqueceu de mim. A única pessoa que sempre vai me amar incondicionalmente, mesmo com nossos erros e acertos, com brigas e desentendimentos e todas essas diferenças gritantes.

D. Marilza e minha irmã Katiana
Eu não sou mãe, mas às vezes eu penso como é difícil ser mãe, olha você carregar uma pessoa dentro de si por nove meses, gerar, alimentar, cuidar, se preocupar, não dormir, educar, e a lista continua...e depois disso tudo você ver essa pessoa por quem você mudou a sua vida, ter uma vida própria, ser dona do próprio destino e você simplesmente ter de abrir mão e deixa-la ir. Ah, isso pra mim não ia funcionar, mas não ia mesmo depois de eu fazer tudo isso por alguém desculpa? Nem pensar! Você é minha propriedade! (risos) Mas como eu disse antes, eu não sou mãe e não tenho a menor idéia de como elas fazem isso. 

Então hoje eu escrevo para minha guerreira que me ensinou tanto na vida, quem eu era, quem eu queria ser e que até  mesmo com seus erros me ensinou que ninguém é perfeito mas que podemos melhorar sempre. 

Mãe feliz dia, eu amo você! 

E Feliz dia das mães a todas as amigas que eu tenho e que são mães e que me permitem ser um pouquinho mãe de seus bebês.


...Renata...

segunda-feira, abril 21, 2014

Já falei das flores

Esses dias ando meio melancólica e passo horas pensando em coisas que só podem ser descritas como a morte da bezerra.

Não sei se é o efeito de um remédio que eu ando tomando que supostamente era para ajudar com a tristeza mas que  anda fazendo um reboliço aqui dentro,  ou se o fato realmente tem que acontecer de quando em vez para gente arrumar a casa,  jogar fora toda aquela tralha que guardamos sem perceber e um dia nos sufocam.

Enfim o motivo eu não sei, mas de certa forma tô indo com esse barco para ver onde ele me leva.

Uma coisa que eu percebo é que eu já falei das flores e hoje eu não as percebo mais e dizer a bem da verdade eu não sei mais falar delas. Criaturas delicadas e suaves coisa que eu já não entendo mais.  Mas sim elas já foram parte do meu vocabulário.  O que me leva a um pensamento (dentre os tantos em minha mente): como recuperar o que se perdeu? Talvez eu não esteja escrevendo nada com nada aqui mas eu sinto que preciso escrever porque é um momento delicado e eu estou tentando ser paciente e o que ajuda é pensar que eu ainda vou voltar a me sentir bem.

Os anos passam e as coisas que machucaram  e que pensamos ter deixado para trás ainda estão aqui acumuladas com coisas novas e ainda machucando como no primeiro instante,  o que eu não entendo é como a gente se acostuma a viver assim? E digo mais! Pensamos que se tirararmos o que nos machuca vai ser pior do que deixar como esta.

Nem tudo que eu falei foi por falar,  mas o que eu não falei também foi por não querer falar só por falar. E de novo não faço idéia do porque eu comecei escrever esse post, mas quem sabe daqui algum tempo eu volte pra falar outra vez das flores,  afinal a primavera só esta começando.

...Renata...

sexta-feira, janeiro 31, 2014

Aquela gente, aquele lugar

Visitando um templo ou em tailandês Wat em Bangkok.

Para ver se as lembranças de umas férias anima minha sexta feira.

Que o dia me surpreenda!

Bom dia a todos!

...Renata...

domingo, janeiro 26, 2014

No caminho de volta...

Aeroporto de Doha esperando o tempo passar vendo aviões pousando e decolando. O tempo passa tão devagar e ao mesmo tempo tão depressa que ironia e que vontade de inventar uma máquina de transporte no tempo. Mas quer saber? Ainda bem que o tempo passa!

Boa semana a todos.

...Renata...

quinta-feira, dezembro 19, 2013

Barcelona, Espanha

A cidade de Gaudí. Outro post de fotos. Eu quando estive em Barcelona fui mimada pela cidade e por duas criaturas maravilhosas a outra Rê e sua prima Ana. Dias inesquecíveis, ruas singulares e paisagens marcantes que sorriso que me traz as lembranças do que eu vivi alí.

Algumas fotos mal tiradas de uma cidade cheia de poesia e beleza.


























...Renata...

segunda-feira, outubro 14, 2013

Saudades hoje.

Esse post é só para falar que eu sinto e muitas mas daqui uns dias eu vou matar ela!

...Renata...